09 fevereiro 2017

==> Das palavras que perfumam.


Às vezes, me perco entre preferir o Sol ou a Lua.

Entro em crise e me lembo de que algumas preferências não precisam estar, nem ser. Somente completar.

Então, quando chove, vou rodar naquelas gotas que caem, até me sentir nuvem. Estufo, explodo e chovo em mim mesmo.

Daí, sai aquele arco-íris que a gente sempre para pra ver, eu seco em terra, germino e, pasmem... brotam flores dentro de mim. É sério.

E pra provar, acabei de colher essa, que ofereço a vocês.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

==> (A)tormente abaixo!