08 agosto 2013

==> Uma fábula com formiga...

Hoje eu cruzei com uma formiga na rua. Ela sorriu e eu também.
Eu quis conversar um pouco - pois sou um tanto falador e curioso - e lhe perguntei:

-- Pequenina, você não se cansa de tanto andar? Por ser tão pequena, a sua distância parece ficar muito maior do que a minha. E, enquanto eu dou passos largos, indo e voltando, eliminando o que é longe, você vai pouco. A noite cai, o dia chega, mas você não.

A formiguinha me disse que, quanto mais demorava, mais aquele caminho para ela, em que eu ia e voltava, era surpreendente. A novidade lhe vinha sempre.

Moral da história: Ao falar com formigas, muito se aprende. 



==> Compartilhe abaixo e aprenderás o idioma das (f)ormigas!

01 agosto 2013

==> Sobre outras estrelas

Vou me enrolar um pouco na noite e deitar a cabeça na lua, enquanto as estrelas me fazem cócegas para dormir.

Estrelas peraltas, sabem que se eu rir, não durmo logo.
E eu sei que fazem de propósito, para que tenhamos mais tempo juntos.

Me mexem e remexem, meu riso vira astro.

O que elas não sabem, é que eu também sou travesso... E não sinto cócegas. 
Finjo para tê-las. "Ora, direis, 'amar' estrelas".

(
"Certo, perdeste o senso")







==> Compartilhe abaixo e verás (e)strelas!